Justiça impede tentativa da Sada de acabar com mobilização de cegonheiros pernambucanos

Oficial de Justiça testemunhou que manifestação é pacífica e que ocorre distantes dos portões da empresa autora.

A juíza Maria do Rosario Arruda de Oliveira, da 1ª Vara Cível da comarca de Goiana-PE, prolatou, na segunda-feira (18/09), novo despacho na ação movida pela mineira Sada Transportes e Armazenagens contra cegonheiros pernambucanos. Agora, a magistrada, que havia determinado a imediata saída dos manifestantes, afirmou que a BR-101, onde estão estacionados os cegonheiros que querem fazer parte do escoamento da produção da Fiat/Jeep, “é uma rodovia federal, cabendo à Justiça (Federal) competente a análise do pedido”.

De acordo com a magistrada, o oficial de Justiça conferiu que a movimentação era pacífica e que ocorre distante dos portões da empresa autora (Sada). Em novo pedido, a empresa de Minas Gerais, acusada de formação de cartel no setor de transporte de veículos novos, “apresenta fotografias de caminhões estacionados ao longo do acostamento da BR-101, em consonância com a certidão do oficial de Justiça”. A juíza Maria de Oliveira considerou que medida previa a retirada dos caminhões-cegonha, limitando-se às imediações da empresa autora.

Na ação, a Sada informou o endereço da fábrica da Fiat/Jeep (que traiu os cegonheiros pernambucanos) como sendo o da empresa, com a finalidade de conduzir o juízo ao erro, alegando que os manifestantes estavam prejudicando os trabalhos desenvolvidos para a montadora. A magistrada ordenou nova diligência para confirmar o cumprimento da decisão liminar.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen