Justiça paulista intima defensores de seis réus da Operação Pacto pela imprensa oficial

A ação penal movida pelo Gaeco contra nove réus acusados de formação de cartel e associação criminosa no bilionário setor de transporte de veículos novos voltou ao trâmite normal. Falta de localização para citação levou a magistrada a intimar os defensores de seis réus pela imprensa oficial.

De São Paulo

Após comprovar pessoalmente em cartório a disponibilização de todo o material apreendido pela Polícia Federal no âmbito da Operação Pacto (imagem de abertura), a juíza Sandra Regina Nostre Marques, titular da 1ª Vara Criminal da Comarca de São Bernardo do Campo (SP), confirmou o “prosseguimento à marcha processual” da ação penal ajuizada em 2021. A magistrada também determinou a intimação dos defensores de seis dos nove réus por meio da Imprensa Oficial, para “apresentar ou complementar as respostas às acusações que lhe estão sendo feitas”. Os despachos foram publicados nessa terça-feira (12).

A ação penal movida pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) chegou a ficar parada por cerca de oito meses. O principal motivo foi a alegação de defensores dos réus de que não estariam tendo acesso à integralidade dos documentos apreendidos nas diligências criminais da Operação Pacto (19.10.2019), desenvolvidas pela Polícia Federal, o que atentaria contra o direito à ampla defesa. Houve várias tentativas do Ministério Público de São Paulo para satisfazer a exigência da magistrada, o que foi resolvido no mês passado. O material foi disponibilizado em dois HDs externos, contendo cerca de seis milhões de arquivos, com possibilidade de acesso aos defensores também pelo sistema de links.

Por conta da dificuldade em acessar ao material apreendido, a Tegma Gestão Logística chegou a solicitar ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a suspensão do andamento de inquérito administrativo em que aparece como representada. Com a chegada da informação sobre a retomada do rito processual, a autoridade antitruste deve revogar a suspensão em relação à Tegma, uma das empresas vasculhadas por agentes federais na Operação Pacto. As investigações se iniciaram a pedido do Cade, após firmar acordo de leniência com a Transilva Logística, que tem sede no Espírito Santo. A operação envolveu Polícia Federal, Cade e Gaeco.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Combate aos cartéis Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Justiça paulista intima defensores de seis réus da Operação Pacto pela imprensa oficial"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    POIS É, AMIGOS QUE SEMPRE ACOMPANHAM ESSAS BRILHANTES MATÉRIAS, EDITADAS NESSE PORTAL MAGNÍFICO.
    CONTRA OS FATOS ACIMA EDITADOS, NÃO EXISTE A MENOR DÚVIDA, QUE OS RÉUS ENTÃO VASCULHADOS, SERIAM INOCENTADOS, POIS OS INTEGRANTES DESSA FACÇÃO CRIMINOSA, DENOMINADA COMO O “CARTEL DOS CEGONHEIROS”, NÃO PODERIAM SER INOCENTADOS EM HIPÓTESE ALGUMA!
    OS PREJUÍZOS CAUSADOS A NOSSA NAÇÃO, AO LONGO DE MUITOS ANOS, SÃO INCALCULÁVEIS, E SENDO ASSIM, ESSE CARTEL JÁ DEVERIA TER SIDO EXTINTO HÁ MUITOS ANOS MESMO, E TODAS AS TRANSPORTADORAS DE VEÍCULOS, QUE INTEGRAM ESSE SISTEMA CRIMINOSO, JÁ DEVERIAM TER SEUS RESPECTIVOS “ALVARÁS DE FUNCIONAMENTO”, CANCELADOS
    OS ADVOGADOS ATUANTES A FAVOR DELES, TENTARAM PROTELAR, HÁ MUITO TEMPO, MAS NÃO EXISTEM DEFESA PARA TODOS OS RÉUS DESSAS AÇÕES!
    SÓ TEMOS É QUE PARABENIZAR OS ÓRGÃOS JUDICIAIS ATUANTES, POIS ELES SEMPRE AGIRAM DE FORMA LÍCITA, PARA TENTAREM SALVAR NOSSA NAÇÃO BRASILEIRA!
    “DURA LEX SED LEX”
    ESSE PORTAL MERECE TODO MEU RESPEITO, POIS É A ÚNICA ENTIDADE JORNALÍSTICA, QUE SEMPRE LUTOU POR UM BRASIL MELHOR, CONTRA TODOS ESSES RÉUS!
    CARTÉIS, JAMAIS!

Os comentários estão encerrados