Laboratório de Investigações Tecnológicas impulsiona Cyber Gaeco contra crimes digitais

Unidade já colaborou em várias operações, inclusive em uma que resultou na prisão de mais de 50 pessoas envolvidas com pedofilia.

De São Paulo

O Ministério Público do Estado de São Paulo inaugurou nessa segunda-feira (24) uma unidade especialmente voltada a enfrentar delitos digitais. Apesar de ter sido recém-apresentado à sociedade, o Laboratório de Investigações Tecnológicas do Cyber Gaeco já vinha colaborando com apurações coordenadas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MPSP. No ano passado, o trabalho do Cyber Gaeco, como ficou conhecido, resultou na prisão de mais de 50 pessoas envolvidas com pedofilia.

Na cerimônia de inauguração oficial, realizada na sede do MPSP, o promotor Richard Encinas, do Cyber Gaeco, adiantou que a unidade já apoia mais de 50 órgãos de execução do Ministério Público. Ele também ressaltou que a parceria com o setor privado é essencial para fazer frente aos crimes virtuais.

Ele enfatizou:

“Sem as empresas privadas, não existe investigação cibernética.”

Na ocasião, o procurador-geral de Justiça, Mario Sarrubbo, afirmou que o Cyber Gaeco já tem prestado serviços inestimáveis. Segundo ele, a nova iniciativa indica que haverá uma evolução muito grande no combate aos crimes virtuais.

Na visão de Lisa Weedon, do Consulado-Geral do Reino Unido em São Paulo, o MPSP é um modelo nas ações de combate à pirataria on-line.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen