MPF abre nova frente para investigar mercado de transporte de veículos novos

Mais um procedimento administrativo foi instaurado no final do ano passado pela Procuradoria-Geral da República em Brasília, a partir de documentos e provas entregues pelo ex-líder sindical Afonso Rodrigues de Carvalho à subprocuradora Samantha Chantal Dobrowolski.

A representação do Ministério Público Federal junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) abriu uma nova frente de combate à organização criminosa que controla com mãos de ferro o setor de transporte de veículos novos em todo o país. O MPF é um dos organismos de Estado que tenta, há mais de 20 anos, frear o ímpeto do chamado cartel dos cegonheiros. Por meio de ações violentas, essa organização impede o ingresso de novos agentes no mercado, causa lesão à livre concorrência e impõe prejuízo estimado em mais de R$ 2 bilhões por ano aos consumidores brasileiros. A decisão da subprocuradora Samantha Dobrowolski aconteceu em 27 de novembro de 2020. No documento, ao qual o site Livre Concorrência teve acesso com exclusividade, a representante do MPF destaca a entrega de documentos da “investigação de fatos específicos trazidos a conhecimento pelo Sintrave-GO”, o Sindicato dos Cegonheiros de Goiás.

O farto material, revelado por um fonte que pediu sigilo, foi encaminhado antes de o então presidente da entidade patronal, Afonso Rodrigues de Carvalho, se transformar num defensor do cartel que combateu por muitos anos. Carvalho passou a negar todas as acusações em troca de vagas de transportador agregado às empresas investigadas por participação no cartel. Essas transportadoras do grupo Sada e Tegma também foram alvos da Operação Pacto, deflagrada pela Polícia Federal, Gaeco e Cade em outubro de 2019.

O material entregue ao MPF contém documentos comprobatórios de práticas ilícitas capazes de formar provas robustas da atuação do cartel dos cegonheiros em prejuízo à economia, interpretou a fonte, ao acrescentar que o fato de o ex-líder tentar desmentir as acusações anteriores não possui qualquer peso que possa colocar em dúvida ou risco os documentos em posse do órgão ministerial.

Para o MPF de Brasília, o Procedimento Administrativo visa ao acompanhamento geral do mercado nacional de transporte rodoviário de veículos, e, em particular, da investigação de fatos trazidos a conhecimento pelo Sintrave-GO, circunscrevendo-os no âmbito da defesa da concorrência, e eventuais consequências imediatas a consumidores”. Ao site Livre Concorrência, o atual representante do MPF no Cade, procurador Regional da República, Waldir Alves, argumentou que o procedimento está sob sigilo, razão pela qual não pode se manifestar.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "MPF abre nova frente para investigar mercado de transporte de veículos novos"

  1. Luiz Carlos Bezerra disse:

    Só tenho é que parabenizar o MPF por essas Ações, haja vista as ilicitudes em que esse Cartel dos Cegonheiros, criminoso como é ao longo de tantos anos, agora certamente corrompeu um de seus ferrenhos inimigo, esse Sr. acima citado, mais conhecido como “Magayver”.
    Infelizmente o “dinheiro sujo” do líder dessa Organização, falou mais alto. Bem como as vagas para sua Transportadoras atuarem em conjunto com as demais, vinculadas ao Cartel.
    Ele até fundou uma Associação inverídica em Pernambuco (conforme já citada em matérias anteriores desse brilhante Portal.), Associação essa que até poderia ter sentido, se ele fosse nativo desse Estado, o que não é. Sendo assim, caracteriza em mais uma fraude constitucional.
    Ele tem feito de tudo, juntamente com o líder do Cartel (Sr. Vittorio Medioli, o italiano, proprietário do Grupo Sada), para enganar os órgãos julgadores.
    É muita falta de caráter deles mesmo.
    Sendo assim, se mostraram ser mais perigosos que se possa imaginar.
    Contra as Leis, não se “brinca”.
    Espero que todos os réus sejas definitivamente condenados, na forma das Leis.
    Chega de tantos absurdos desses meliantes.
    “PRA FRENTE BRASIL! CARTÉIS NUNCA MAIS NESSE NOSSO PAIS!
    NÓS NÃO MERECEMOS ISSO!
    RESPEITEM OS QUE REALMENTE PRECISAM TRABALHAR COM HONESTIDADE, QUE SÓ ALMEJAM UM LUGAR AO SOL!”
    HOJE, SOB NOVA DIREÇÃO FEDERAL!

Os comentários estão encerrados