MPF pede ao Cade condenação de multinacionais de frete por formação de cartel

Quem sabe um dia o que vale para fretes marítimos e aéreos também possa ser útil no combate ao cartel que domina o transporte de veículos novos. Recentemente, o Ministério Público Federal (MPF) pediu ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a condenação de sete multinacionais de logística. As empresas, segundo o órgão ministerial, são acusadas de formação de cartel no mercado de agenciamento de frete aéreo e marítimo. A decisão do MPF foi apresentada em 18 de julho.

Em outubro de 2017, a Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) já recomendara, em despacho publicado no Diário Oficial da União, a condenação das empresas investigadas e da Associação Brasileira das Empresas de Transporte Internacional (Abreti). Oito pessoas físicas também integram o processo.

As evidências revelaram que as empresas – seja por intermédio da associação, ou por conversas entre seus executivos – combinaram entre si o repasse simultâneo dos custos do serviço aos clientes, com consequências diretas nos preços de taxas referentes ao transporte de cargas.

O caso deve ir a julgamento pela autoridade antitruste ainda em 2018 e a condenação pode chegar a 20% do faturamento das empresas no ano anterior ao da abertura do processo.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen