MPGO lidera operação em seis estados contra organização criminosa suspeita de manipular resultados da Séria A do Brasileirão

A ação realizada na manhã dessa terça-feira é um desdobramento da Operação Penalidade Máxima, deflagrada em fevereiro de 2023, cujo resultado embasou a denúncia, já aceita pela Justiça, de 14 pessoas acusadas de integrar organização criminosa e corrupção em âmbito desportivo, entre elas oito jogadores de futebol da Série B.

De Goiás

Uma força-tarefa de 144 integrantes – formada por promotores, servidores e policiais de seis estados – cumpriu três mandados de prisão preventiva e 20 mandados de busca e apreensão em 16 municípios contra suspeitos de manipular resultados de cinco jogos da Serie A do Brasileirão em 2022 e de cinco partidas de competições regionais (campeonatos goiano, gaúcho, mato-grossense e paulistas) disputadas em 2023. A operação foi batizada de Penalidade Máxima II.

Os mandados, autorizados pela 2ª Vara Estadual dos Feitos Relativos a Delitos Praticados por Organização Criminosa e Lavagem ou Ocultação de Bens Direitos e Valores de Goiás, foram cumpridos em Goianira (GO), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE), Pelotas (RS), Santa Maria (RS), Erechim (RS), Chapecó (SC), Tubarão (SC), Bragança Paulista (SP), Guarulhos (SP), Santo André (SP), Santana do Parnaíba (SP), Santos (SP), Taubaté (SP) e Presidente Venceslau (SP). Nos endereços ligados aos envolvidos foram apreendidos celulares, armas de fogo, munições e granadas.

A ação realizada na manhã dessa terça-feira é um desdobramento da Operação Penalidade Máxima, deflagrada em fevereiro de 2023, cujo resultado embasou a denúncia, já aceita pela Justiça, de 14 pessoas acusadas de integrar organização criminosa e corrupção em âmbito desportivo, entre elas oito jogadores de futebol da Série B.

Em nota, o MPGO informou que o grupo criminoso atuou mediante cooptação de jogadores profissionais de futebol. Os envolvidos receberiam valores entre R$ 50 mil a R$ 100 mil para que cometessem determinados eventos nos jogos, como derrota no primeiro tempo e interferissem no número de escanteios marcados e de cartões amarelos e vermelhos mostrados durante as partidas.

A nota também revelou algumas conclusões da apuração:

“A investigação indica que as manipulações eram diversas e visavam, por exemplo, assegurar a punição a determinado jogador por cartão amarelo, cartão vermelho, cometimento de penalidade máxima, além de assegurar número de escanteios durante a partida e, até mesmo, o placar de derrota de determinado time no intervalo do jogo.”

E acrescentou:

“Há indícios de que as condutas previamente solicitadas aos jogadores buscavam possibilitar que os investigados conseguissem grandes lucros em apostas realizadas em sites de casas esportivas, utilizando, ainda, contas cadastradas em nome de terceiros para aumentar os rendimentos.”

Um dos investigados, segundo apuração do portal Globoesporte (GE), é o jogador Victor Ramos, da Chapecoense. Em nota, o clube de Santa Catarina manifestou apoio ao atleta. Também ressaltou que colabora com as investigações. Ainda segundo o GE, os outros investigados são o lateral-esquerdo Igor Cariús, do Sport, o meia Gabriel Tota, ex-Juventude e atualmente no Ypiranga-RS, e o zagueiro Kevin Lomónaco, do Bragantino. Há outros nomes, mas que ainda não foram revelados pelo MP.

Imagem de lbrownstone / Pixabay.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Combate aos cartéis Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "MPGO lidera operação em seis estados contra organização criminosa suspeita de manipular resultados da Séria A do Brasileirão"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    QUE ABSURDO É ESSE, AMIGOS QUE SEMPRE ACOMPANHAM ESSAS MATÉRIAS DESSE PORTAL.
    ATÉ A GRANDE MÍDIA DESSA VEZ, APONTOU ESSES ESCÂNDALOS EM SUAS REPORTAGENS.
    NA MINHA OPINIÃO, TODOS OS ENVOLVIDOS NESSAS AÇÕES CRIMINOSAS, DEVEM SER BANIDOS DEFINITIVAMENTE, DE ATUAREM EM QUAISQUER EQUIPES ESPORTIVAS DESSA MODALIDADE, QUE SEMPRE FOI UM EXEMPLO MUNDIAL, POIS O FUTEBOL É IDOLATRADO POR MAIS DE 90% DO POVO BRASILEIRO.
    PRATICAR ESPORTE COMO ESSE, SÓ PODEM SER DE ATLETAS, QUE CONTENHAM LICITUDE MORAL, E NUNCA POR BANDIDOS.
    PONTO FINAL PARA TODOS ESSES VÂNDALOS CRIMINOSOS!

Os comentários estão encerrados