Muito além do acordo de leniência

Diante da robustez das provas, a Polícia Federal derrubou o discurso enfadonho do cartel dos cegonheiros que por anos a fio defendeu – e ainda defende – a tese mirabolante de que tudo não passava de intriga deste jornalista, que trabalharia “a soldo” de uma transportadora que tem sede em Porto Alegre. Diga-se de passagem, isso nunca foi comprovado nas dezenas de ações movidas em quatro estados brasileiros. Agora o cartel dos cegonheiros sente o jogo virar. As informações e documentos vêm do interior da organização criminosa, de gente que acompanhou muita ação de perto, inclusive os movimentos do comando central.

A Polícia Federal caminha a passos largos em direção ao desmantelamento da organização criminosa que controla a quase totalidade do bilionário setor de transporte de veículos novos em todo o país. O cartel dos cegonheiros vive momentos de alvoroço, tensão e inquietação. Até pouco tempo atrás considerado intocável, foi surpreendido com as operações Pacto e Ciconia. Gente que parecia blindada às ações das autoridades constituídas teve policiais federais batendo à sua porta no clarear do dia. Grande ou pequeno, influente ou não, foi vasculhado pela polícia judiciária federal. O sistema nervoso central e o cérebro foram abalados, indiscutivelmente, queiram alguns ou não.

Os policiais federais foram muito além do acordo de leniência firmado pela Transilva Logística com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que patina no inquérito administrativo que investiga a prática de infrações à ordem econômica desde 2016. O cartel dos cegonheiros não causa prejuízos apenas à livre concorrência. Abusa e atenta diariamente contra os milhares de compradores de veículos novos que são obrigados, sem saber, a custear um ágio estimado, com números conservadores, de R$ 5 bilhões por ano, além de praticar ações ilegais como dumping para eliminar a concorrência e ditar normas sobre quem pode operar no segmento e quem não pode.

A Polícia Federal conta com um aliado fiel, o Ministério Público do Estado de São Paulo. Por meio do órgão especializado, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de São Bernardo do Campo (SP) já ajuizou ação penal contra nove dos 12 indiciados pelos federais. Pela movimentação processual, é possível identificar que promotores acompanham de perto o andamento e manifestam-se com clareza e firmeza quando necessário. E essa ação penal já ganhou novos contornos a partir da liberação de toda documentação apreendida aos defensores dos acusados.

Os policiais federais causaram pânico à cúpula do cartel dos cegonheiros, mas ainda não o suficiente para frear o ímpeto da organização criminosa. Fontes indicam que a PF está bem próxima de identificar novos atores que até agora eram considerados como uma espécie de “fantasmas”, mas que, a exemplo de líderes incontestes, não estarão imunes à ação policial e já sentem o calor da proximidade.

O inquérito da Operação Ciconia ganhou um forte reforço. As declarações de um ex-executivo da Sada que deverá contar em detalhes como funciona a ilegalidade das ações do cartel dos cegonheiros. Novos depoimentos deverão reforçar as provas já obtidas pelos federais e pelos promotores do Gaeco. Diante da robustez das provas, a Polícia Federal derrubou o discurso enfadonho do cartel dos cegonheiros que por anos a fio defendeu – e ainda defende – a tese mirabolante de que tudo não passava de intriga deste jornalista, que trabalharia “a soldo” de uma transportadora que tem sede em Porto Alegre. Diga-se de passagem, isso nunca foi comprovado nas dezenas de ações movidas em quatro estados brasileiros. Agora o cartel dos cegonheiros sente o jogo virar. As informações e documentos vêm do interior da organização criminosa, de gente que acompanhou muita ação de perto, inclusive os movimentos do comando central.

Ivens Carús – Editor

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Muito além do acordo de leniência"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    POIS É MEUS NOBRES AMIGOS, QUE SEMPRE ACOMPANHARAM ESSAS BRILHANTES MATÉRIAS EDITADAS NESSE PORTAL JORNALÍSTICO, QUE É O ÚNICO CANAL A SE EXPOR, CONTANDO TODAS A VERDADE DESSES FATOS PRATICADOS POR ESSA FACÇÃO TERRIVELMENTE PERIGOSA, DENOMINADA “CARTEL DOS CEGONHEIROS”, QUE PASMEM, É E SEMPRE FOI COMANDADA POR UM CIDADÃO QUE AINDA EXERCE FUNÇÃO POLÍTICA COMO PREFEITO DE UM MUNICÍPIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS, ONDE ATACOU POR VÁRIAS VEZES O EDITOR-CHEFE DESSE PORTAL, PERDENDO TODAS.
    “QUE PAÍS É ESSE”, SRS. JURISTAS?
    ATÉ FAZ PARTE DESSE CARTEL, UMA TRANSPORTADORA ALEMÃ, QUE É A TEGMA.
    DUVIDO QUE NESSES PAÍSES, PERMITIRIAM QUE BRASILEIROS OPERASSEM DESSA FORMA POR LÁ, CAUSANDO TANTOS PREJUÍZOS AOS CIDADÃOS DELES, NÃO É MESMO?
    OS PREJUÍZOS CAUSADOS AOS CONSUMIDORES QUE COMPRARAM SEUS AUTOMÓVEIS NOVOS PRODUZIDOS NAS MONTADORAS AQUI EXISTENTES, JAMAIS SERÃO RESSARCIDOS TAMBÉM E AS TRANSPORTADORAS DE VEÍCULOS, DE ORIGEM BRASILEIRA, QUE TAMBÉM TIVERAM VÁRIOS EQUIPAMENTOS INCENDIADOS, TAMBÉM!
    NENHUMA REDE JORNALÍSTICA BRASILEIRA, COMENTA NADA SOBRE ESSE CAOS, PRATICADO EM NOSSA NAÇÃO BRASILEIRA. “POR QUÊ SERÁ”?
    ONDE TUDO ISSO VAI PARAR?
    NADA MAIS A COMENTAR.
    SÓ NOS RESTA AGUARDAR QUE ESSA FACÇÃO CRIMINOSA SEJA PUNIDA E QUE TODOS OS SEUS LÍDERES SEJAM MULTADOS, TENHAM OS ALVARÁS DE FUNCIONAMENTO DAS SUAS TRANSPORTADORAS DEVIDAMENTE CANCELADOS, POIS SÓ ASSIM O “CARTEL”, DEIXARIA DE EXISTIR.
    NÃO É MESMO?
    PARABÉNS AO EDITOR-CHEFE DESSE PORTAL, POIS NUNCA TEVE MEDO DE EDITAR A VERDADE DESSES FATOS!

Os comentários estão encerrados