Pandemia também prejudica investigação aberta pelo Cade

Já são dez pedidos de prorrogação do inquérito que apura os crimes contra a economia praticados pelo chamado cartel dos cegonheiros, desde que a Operação Pacto foi deflagrada. Os alvos são investigados por impedir o ingresso de novas empresas no setor e impor ágio da ordem de 40% no preço dos fretes de veículos novos. O cartel controla mais de 90% do mercado de caminhões-cegonha.    

Desde que o inquérito para investigar crimes contra a ordem econômica praticados no bilionário setor de transporte de veículos novos foi instaurado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a Superintendência-Geral do órgão antitruste já pediu 20 vezes a prorrogação das apurações. As últimas dez ocorreram depois da Operação Pacto, deflagrada em 17 de outubro de 2019 – quando Polícia Federal, Cade e Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de São Bernardo do Campo cumpriram mandados de buscas e apreensões em sedes dos grupos Sada, Tegma e Transcar, nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Bahia. Um sindicato de cegonheiros com sede em Espírito Santo (Sintraveic-ES) também foi vasculhado. As ações policiais foram autorizadas pela Justiça.

O Cade investiga o setor desde fevereiro de 2016, quando recebeu denúncia informando que o sindicato de cegonheiros capixaba deixou de protocolar documento revelando atitudes suspeitas das empresas Tegma, Brazul (grupo Sada) e Transcar, em troca de vagas para transportador. De acordo com o documento, executivos das referidas transportadoras pressionavam líderes sindicais para exercerem paralisações violentas contra concorrentes.

Embora no órgão antitruste o processo seja eletrônico, as sucessivas prorrogações desde a deflagração da primeira fase ostensiva da Operação Pacto decorrem da necessidade de o Cade obter cópia do material apreendido na diligência coordenada pela Polícia Federal. Por tratar-se de processo físico, toda documentação apreendida está na comarca de São Bernardo do Campo (SP) e os agentes encarregados de examiná-la não possuem acesso. Os foros de todo o país estão fechados por causa da pandemia de Covid-19.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Combate aos cartéis Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Pandemia também prejudica investigação aberta pelo Cade"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    POIS É MEUS AMIGOS QUE SEMPRE LEEM ESSE MAGNÍFICO PORTAL
    AS SUAS MATÉRIAS SEMPRE FORAM MUITO BEM ELUCIDADAS, MAS ESSA PANDEMIA ESTÁ PREJUDICANDO EM MUITO, NÃO SÓ ESSES CASOS, COMO VÁRIOS OUTROS QUE ASSOLAM O NOSSO PAÍS HÁ MUITOS ANOS.
    O CARTEL DOS CEGONHEIROS REALMENTE EXISTE E TRATA-SE DE UMA ORGANIZAÇÃO MUITO PERIGOSA MESMO. FATO ESSE QUE JÁ FOI DEVIDAMENTE INVESTIGADO PELA PF E OUTROS DEMAIS ÓRGÃOS DA NOSSA FEDERAÇÃO.
    SENDO ASSIM, SÓ RESTA AGORA QUE TODOS SEJAM DEVIDAMENTE CONDENADOS, NA FORMA DAS LEIS E, QUE AS TRANSPORTADORAS DE VEÍCULOS AO SISTEMA VINCULADAS, PERCAM DEFINITIVAMENTE SEUS ALVARÁS DE FUNCIONAMENTOS, E AINDA OS SINDICATOS MANIPULADOS PELO SINACEG (EX-SINDICAM), TAMBÉM SEJAM DEFINITIVAMENTE FECHADOS, COM TODOS OS SEUS LÍDERES ENCAMINHADOS À PRISÃO, EM REGIME FECHADO!
    O NOSSO BRASIL NÃO PODE MAIS FICAR REFÉM DESSA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA!
    CHEGANDO AO FIM ESSES DESMANDOS, IMEDIATAMENTE!
    DEUS SEJA LOUVADO!
    CUMPRAM-SE AS LEIS!

Os comentários estão encerrados