Polícia Federal faz busca e apreensão em Sindicato de Cegonheiros e na casa do presidente. celular e documentos foram recolhidos

No mesmo dia em uma força-tarefa da Polícia Federal, Controladoria-Geral da União, Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul, Ministério Público Federal e Ministério Público do Rio Grande do Sul deflagrou a Operação Camilo para apurar desvios de recursos públicos destinados à saúde em Rio Pardo, um outro grupo de policiais federais se dirigiu à sede do Sindicato dos Cegonheiros do Rio Grande do Sul (SIntravers), em Gravataí, e à casa do presidente da entidade, Jefferson de Souza Casagrande, mais conhecido como Bolinha (foto de abertura). Era o cumprimento de mandados de busca e apreensão de documentos e equipamentos eletrônicos. Há indícios de que as diligências envolvendo o sindicalista sejam um desdobramento do inquérito que investiga uma organização criminosa que controla, inclusive com o uso de violência, o transporte de veículos novos em todo o país. Essa investigação deu origem à Operação Pacto, deflagrada em 17 de outubro do ano passado. Na ocasião sedes das transportadoras Sada e Tegma, além de um sindicato do Espírito Santo, foram vasculhados pela PF, Gaeco e Cade. As diligências continuam se alastrando.

Ao site Livre Concorrência, Bolinha explicou:

“Não posso falar muito, mas as perguntas que respondi eram sobre o transporte de veículos, queriam saber sobre determinadas pessoas, onde estavam.”

O telefone celular dele e vários documentos foram apreendidos pela autoridade policial. Pelo aplicativo de WhatsApp, Casagrande explicou aos associados o que aconteceu por meio de mensagem de áudio. Disse não ter sido conduzido coercitivamente, mas afirmou:

“Tive de ir à Polícia Federal por questões particulares. Tive de apresentar documentos para depois ser liberado e posteriormente prestei depoimento a um delegado”.

Ele também esclareceu que estava à disposição dos integrantes do grupo para qualquer esclarecimento:

“Podem me ligar nesse telefone agora, porque o meu ficou lá na Polícia Federal.”

Ao site, o presidente argumentou que, ao prestar depoimento, manifestou sua disposição de abrir mão da presença de advogado, visando a acelerar o procedimento:

“O delegado colocou isso nas primeiras linhas dos esclarecimentos que prestei.”

O advogado Rogério Blazina, que também representa o Sintravers, chegou ao final da declaração, mas de acordo com Casagrande, “nem havia necessidade da presença de um advogado”.

Há notícias de que policiais federais também fizeram buscas de documentos e de equipamentos na casa de Ewerton de Souza Casagrande, irmão do presidente.

“Me disseram que foram, mas não posso confirmar porque ainda não conversei com ele (o irmão).”

O líder sindical denunciou a existência de cartel no setor de transporte de veículos novos nos anos 2000. Depois acabou se aliando ao esquema que controla mais de 95% dos fretes realizados por caminhões-cegonha no país.

Youtube
Desde a terça-feira corriam rumores sobre a prisão do presidente do Sintravers, nas redes sociais e em conversas telefônicas. Havia informações desencontradas indicando, inclusive, a possibilidade de envolvimento na Operação Camilo, o que foi afastado e negado hoje pelo próprio Casagrande. O jornalista Chico Pereira, que possui um blog de notícias, na manhã da quarta-feira (ontem), chegou a comentar o assunto. Entre outros temas, Pereira destacou a complexidade das questões envolvendo o transporte dos veículos produzidos pela General Motors de Gravataí:

“É grande o rolo no escoamento da produção da GM. Não vou entrar na questão que é jurídica, mas que tem rolo, tem.”

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Polícia Federal faz busca e apreensão em Sindicato de Cegonheiros e na casa do presidente. celular e documentos foram recolhidos"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    SENDO ASSIM, NOBRES AMIGOS. NEM PRECISAMOS COMENTAR MUITO SOBRE O ASSUNTO. SE O PRESIDENTE DESSE SINDICATO SE COOPTOU AO CARTEL, TERÁ QUE DAR AS SUAS DEVIDAS EXPLICAÇÕES À JUSTIÇA.AGORA SÓ PODEMOS AGUARDAR OS DESFECHOS FINAIS, POIS A DEFLAGRAÇÃO DA EXISTÊNCIA DO CARTEL ESTÁ CHEGANDO AO SEU FINAL, E TODOS DEVERÃO SER DEVIDAMENTE PUNIDOS NA FORMA DAS LEIS.
    QUANTO AS TRANSPORTADORAS FILIADAS, AOS SINDICATOS ALINHADOS (QUE SEGUEM AS ORDENS DO SINACEG-EX-SINDICAM, QUE É O BRAÇO FORTE DO CARTEL), BEM COMO A ANTV (QUE TAMBÉM JÁ TERIA SIDO DEVIDAMENTE CONDENADA ANTERIORMENTE PELO TRF-4. NA MINHA MODESTA OPINIÃO, DEVERIAM SER DEFINITIVAMENTE FECHADOS E, PROIBIDOS DE EXERCER AS FUNÇÕES AFIM.
    CHEGA DE TANTOS DESMANDOS E TANTOS PREJUÍZOS CAUSADOS ATÉ HOJE, A NOSSA NAÇÃO E AOS CONSUMIDORES FINAIS!
    O BRASIL AGORA ESTÁ SOB NOVA DIREÇÃO E COMO TAL, DEVE SER MORALIZADO!
    “BRASIL ACIMA DE TUDO. DEUS ACIMA DE TODOS!” – ESSE É O SLOGAN ATUAL DE NOSSA NAÇÃO!
    BASTA DE TANTA CORRUPÇÃO!
    TODOS OS RÉUS DEVEM SEGUIR DIRETO PARA A PRISÃO!
    DOA A QUEM DOER!
    “QUEM NÃO DEVE, NÃO TEME!”
    CERTO?

Os comentários estão encerrados