Presidente do Sintravers: “Levantei a bandeira da Bonança”

“Levantei a bandeira da Bonança”, disse o presidente do Sintravers, Jefferson de Souza Casagrande, o Bolinha. A frase foi encaminhada por áudio ao portal Livre Concorrência. Depois de ter conseguido uma vaga na transportadora para o amigo e deputado federal Jones Martins, do PMDB, o líder sindical negou com veemência ser “subordinado ao Sindicam”. Mesmo tendo na entidade que preside mais de 3 mil associados oriundos do sindicato paulista. Em 2000, Bolinha denunciou a entidade de São Paulo por formação de cartel. Posteriormente, aliou-se ao denunciado. Ainda assim, afirma ser “independente” em termos de atuação.

Bolinha também encaminhou nota em nome do sindicato. Alegou estar “inconformado” com o vídeo veiculado pelo site Livre Concorrência para anunciar as matérias publicadas nesta quarta-feira. Ele considera que o material contém “inverdades”.

Acrescentou que em momento algum a entidade se envolveu com “barganhas”, vendas de postos (vagas) ou favorecimentos a terceiros. A defesa do carreteiro é o “único fim do sindicato”, citou.

“Caso alguma empresa solicite nomes para indicação, nós o faremos com grande prazer e sempre em benefício do cegonheiro.”

Jefferson Casagrande, presidente do Sintravers

O presidente considera a circulação de anúncio de venda de vagas por R$ 250 mil uma simples suposição sem fundamento. “A entidade enxerga com bons olhos a entrada de novas empresas no transporte de veículos”.

Bolinha afirmou que gostou “da proposta da Bonança”, acrescentando que a empresa não tem a menor chance de transportar para a General Motors de Gravataí porque “todos estão contentes com a Júlio Simões”.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen