Processo contra FCA/Fiat, Ford e Volkswagen sofre novo adiamento no Cade

Pela segunda vez consecutiva, o julgamento do processo que pede a condenação das montadoras FCA/FIAT, Ford e Volkswagen por abuso de posição dominante e de poder econômico foi adiado no plenário do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O motivo foi um novo pedido de vista, desta vez do conselheiro João Paulo de Resende. As montadoras são acusadas de promover ações visando à aniquilação do mercado paralelo de peças de reposição. O processo foi instaurado em 2007 e se arrasta por 11 anos.

O conselheiro-relator, Paulo Burnier (foto de abertura) pediu a condenação das três montadoras, impondo pagamento de multas que, somadas, chegam aos R$ 4,3 milhões, além da adoção de medidas que impeçam a continuidade de ações contra as fábricas de peças paralelas no mercado de reposição. Na sessão do dia 7 de fevereiro, o conselheiro Maurício Oscar Bandeira, que havia pedido vista, apresentou voto pelo arquivamento do processo. Não há prazo para a conclusão do julgamento.

7-de-fevereiro-de-2018_cade_multas

Mudança brusca
A Procuradoria Federal Especializada (PFE) junto ao Cade apresentou parecer pela condenação das três montadoras. O Ministério Públioco Federal também. Nas duas sessões em que o julgamento foi suspenso, no entanto, o procurador-chefe da PFE, Walter de Agra Júnior, mudou o parecer. Fez a sustentação oral pedindo o arquivamento do processo.

Crédito da foto: Divulgação Cade

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Processo contra FCA/Fiat, Ford e Volkswagen sofre novo adiamento no Cade"

  1. Luiz Carlos Bezerra disse:

    CERTAMENTE O MPF AINDA NÃO CONCLUIU SUAS INVESTIGAÇÕES!
    FICAREMOS NO AGUARDO DAS DECISÕES FINAIS E CONFIAMOS JA JURISPRUDÊNCIA DESTE PAÍS!

Os comentários estão encerrados