Retratação: Vittorio Medioli não foi indiciado no inquérito policial 277/2010

O site Livre Concorrência errou ao informar que o empresário e político Vittorio Medioli teria sido indiciado no Inquérito Policial 277/2010 da Polícia Federal.

O procedimento investigou prática de cartel e crimes de dano qualificado no setor de transporte de veículos novos. Na investigação presidida pelo delegado da Polícia Federal Aldronei Antonio Pacheco Rodrigues, ainda que o dono do grupo Sada e atual prefeito de Betim (MG) tenha sido apontado como o “todo poderoso comandante de verdadeira organização criminosa” (pg. 644 do Inquérito Policial), Medioli não foi indiciado pelos crimes apurados.

No relatório do inquérito 277/2010 o delegado decidiu pelo indiciamento de outras pessoas identificadas como autoras e intermediárias da queima de caminhões de transportadoras que não integram o suposto cartel dos cegonheiros. Entretanto, Medioli não compõe a lista de indiciados, ainda que a autoridade policial tenha mencionado a necessidade de ampla investigação e combate ao suposto cartel, inclusive em relação àqueles que a Polícia entende serem seus mandantes: “Abrangendo a análise para os crimes de cartel, obrigatoriamente, deverão ser englobados seus mandantes, quais sejam, Vittorio Medioli e a cúpula do grupo Sada, que já são por demais conhecidos dos meios policiais, Judiciais e de alçada Administrativa no Direito Econômico (Cade).” (Pg. 649 do Inquérito Policial).

Dessa forma, e em respeito e compromisso com a verdade, com a qualidade das informações e com os leitores, o site Livre Concorrência vem à público corrigir a informação equivocada anteriormente veiculada, só descoberta nesta semana quando tivemos acesso com exclusividade da íntegra do relatório.

A afirmação equivocada foi publicada nas matérias abaixo

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Retratação: Vittorio Medioli não foi indiciado no inquérito policial 277/2010"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    MUITO ÓTIMA ESSA MATÉRIA.
    ESSE PORTAL É JORNALÍSTICO E, SEMPRE FOI LÍCITO EM TODAS AS SUAS EDIÇÕES! SENDO ASSIM, O QUE PODERÍAMOS ENTÃO COMENTAR?
    SE A PRÓPRIA PF RELATOU TAIS AFIRMAÇÕES, NÃO SE TRATARIA DE RETRATAÇÃO, APENAS NÃO CITAR TAL INQUÉRITO QUE ESSE ITALIANO (PREFEITO DE BETIM, QUE NEM BRASILEIRO É), TERIA SIDO INDICIADO. AO MEU VER, APENAS FICOU IMPLÍCITA ESSA AFIRMAÇÃO, POIS ELE, SENDO O PROPRIETÁRIO DO GRUPO SADA, É DE FATO COMANDANTE DESSA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA. ELE DITA AS NORMAS E, QUEM NÃO CUMPRE, FICA FORA DA FACÇÃO, SUJEITO A PENALIDADES INTERNAS.
    ESSE CARTEL SEMPRE ATUOU COM “MÃOS DE FERRO”, NO TRANSPORTE DE VEÍCULOS NOVOS, PRODUZIDOS EM NOSSO PAÍS. NUNCA RESPEITARAM A LEI DA LIVRE CONCORRÊNCIA E INCENDEIAM AS DEMAIS TRANSPORTADORAS NÃO VINCULADAS AO SISTEMA, HÁ MUITO TEMPO.
    A PERGUNTA QUE FICA NO AR É SIMPLES: – QUEM FOI CONDENADO POR EVASÃO DE DIVISAS, DESSA ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA, RECENTEMENTE?
    SENDO ASSIM, NADA A MAIS A COMENTAR, NÃO É MESMO?
    CUMPRAM-SE AS LEIS!

Os comentários estão encerrados