Réus condenados por formação de cartel alegam inocência e invasão de competência do Cade por parte da Justiça Federal

Não existem fundamentos fáticos e jurídicos para sustentar as sentenças proferidas contra os réus condenados por formação de cartel no setor de transporte de veículos novos. Esse é o resumo dos advogados de defesa da General Motors, de Luiz Moan (ex-diretor de assuntos institucionais da GM), da Associação Nacional dos Transportadores de Veículos (ANTV) e do Sindicato Nacional dos Cegonheiros (Sinaceg, ex-Sindicam).

Conteúdo equivocado e injusto
Para os advogados da GM, sentença atentou contra a validade jurídica:

“A sentença incorreu em erro duplo e mortal à sua validade jurídica, aplicando equivocadamente conceitos de direito concorrencial além de fechar os olhos à efetiva conduta da GM e situação de mercado existente.”

Para os defensores da montadora norte-americana, o Ministério Público Federal (MPF) pretende substituir o Cade:

“Assumiu (o MPF) o papel de xerife da concorrência para perseguir supostos infratores da ordem econômica.”

Sindicato sem poder econômico
Apontado pelo MPF e pela Polícia Federal como braço político das grandes transportadoras para manter a livre concorrência longe do setor de transporte de veículos novos, o Sinaceg (ex-Sindicam) também alega invasão da competência do Cade pela Justiça Federal e pelo MPF. O advogado Laércio Farina, que já defendia o Sindicam quando o Cade, sob a presidência da sua mulher, Elizabeth Farina, arquivou o processo administrativo contra ANTV e o sindicato, declara ainda que a entidade condenada por formação de cartel não tem poder para interferir no setor:

“Não detém poder econômico (o Sinaceg) de que possa fazer uso, tampouco abusar, não podendo, de tal forma, causar lesão à ordem econômica.”

Condenação e multa injustas
A defesa de Luiz Moan argumenta que o cliente foi condenado injustamente. Também critica o valor da multa aplicada ao ex-diretor de assuntos institucionais da GM:

“O pagamento de multa-indenização, no valor de aproximadamente R$ 2,4 milhões, o que se corresponde a oito vezes o valor da multa imposta ao Sinaceg (ex-Sindicam), sindicato que representa os efetivos partícipes do investigado concerto antoconcorrencial.”

Sentença equivocada e descalça de provas
Os representantes da Associação Nacional das Transportadoras de Veículos (ANTV) também questionam a competência da Justiça Federal no caso e existência de cartel. Exigem ainda a reforma da sentença:

“A análise dos fatos econômicos, na Justiça se deu de forma equivocada, descalça de provas e há de ser reformada. Não há qualquer infração à ordem econômica que possa ser atribuída à apelante (ANTV). Os autos contam que não há monopólio no setor de serviços de transporte de veículos.”

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

3 comentários sobre "Réus condenados por formação de cartel alegam inocência e invasão de competência do Cade por parte da Justiça Federal"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    Meus caros amigos e leitores deste Portal, é claro que eles continuarão fazendo de tudo, para serem considerados “INOCENTES”!
    Onde já se viu, um culpado admitir seu crime, em troca de nada!
    Parece piada!
    Eles atropelaram e continuam burlando, por vários anos, a LIVRE CONCORRÊNCIA, no Setor de Transportes de Veículos Novos, produzidos no Brasil. Causando sérios prejuízos aos Consumidores Finais, e excluindo as demais Transportadoras, não vinculadas ao CARTEL. Jamais aceitariam esta condenação, de forma pacífica!
    Se Julgados e Condenados, que se cumpram a LEI!
    Esta é a função do órgão julgador competente!
    COMPROVADOS OS CRIMES, CUMPRAM-SE AS SENTENÇAS, E PONTO FINAL!
    O País está mudando, pois encontra-se sob nova direção!
    AVANTE BRASIL!

  2. Janaina Galvao disse:

    Que a justiça seja feita!!! Até hoje, nunca vi o culpado dizer que é culpado, e seus advogados assumirem a culpa de seus clientes… espero piamente que esse Cartel seja condenado!!! Chega de tanta impunidade!!! O Brasil precisa avançar!!!

  3. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    POSITIVO AMIGA JANAINA GALVÃO! VC ESTÁ CERTÍSSIMA!

Os comentários estão encerrados