Sem Parar entra com representação no Cade contra ConectCar e Itaú

É a segunda vez que a líder no mercado de tags de pedágio recorre ao Cade. Empresa se queixa da ação de grandes bancos que estariam praticando subsídios cruzados, venda casada e infração da Lei Geral de Proteção de Dados.

De Brasília

Líder em tags de pedágio no país, a Sem Parar entrou com uma representação no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) contra a concorrente ConectCar e o banco Itaú, que é dono da tag de pedágio em sociedade com a Porto Seguro. Na representação protocolada em fevereiro, informa o jornal O Globo, a empresa precursora do sistema no país reclama de subsídios cruzados, venda casada e infração da LGPD.

A Sem Parar criou o negócio de tags de pedágio ha duas décadas. Chegou a controlar 90% desse mercado. Nos últimos anos, os bancos passaram a incluir a tag de pedágio no rol de serviços para ativar ou fidelizar clientes. Além de Veloe e ConectCar, que pertencem aos grandes bancos, a Greenpass também oferece o serviço no modelo de white label para diversos clientes como C6 Bank, Banco Inter e Sicredi.

Os mesmos argumentos apresentados no início do ano ao Cade foram usados em outra representação, em 2020, contra a Veloe, tag controlada pelos bancos Bradesco e Banco do Brasil. Até o momento a representação não passou da fase de inquérito -que precede a instauração de um processo administrativo.

Procurada pelo jornal O Globo, a Sem Parar afirmou que “os processos seguem em análise pelo órgão competente e a empresa continua à disposição para esclarecimentos”.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Sem Parar entra com representação no Cade contra ConectCar e Itaú"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    POIS É, NOBRES AMIGOS.
    ESSAS EMPRESAS QUE CUIDAM DESSES PEDÁGIOS, DEVERIAM ATUAR SOMENTE PARA PROTEGER O POVO QUE TRANSITA NESSAS ESTRADAS, E DESSA FORMA, PRESTAREM SERVIÇOS AO BRASIL, POIS ESTRADAS PEDAGIADAS, DEVERIAM SER OBRIGAÇÃO DOS GOVERNOS ESTADUAIS E FEDERAL.
    NUNCA PARA ENRIQUECEREM DE FORMA CRIMINOSA, NÃO É MESMO?

Os comentários estão encerrados