Servidor é desligado do Cade após pedir investigação de lobby de Wassef para Viracopos

O uso político do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) vem se tornando no maior pesadelo de quem acredita que o combate a cartéis e ao abuso de poder econômico é levado a sério no país. O receio tornou-se mais robusto depois da interferência do Senado, do centrão e de um dos filhos de Bolsonaro na indicação de conselheiros para o órgão. Nessa quinta-feira (17) esse temor se intensificou. O jornal O Globo informou que o servidor Carlos Eduardo Silva Duarte, que estava no Cade, foi desligado do cargo. Ele foi o autor do pedido de investigação à PGR sobre reportagem de O Antagonista que revelou o contrato de Frederick Wassef com a concessionária de Viracopos.

Wassef é o dono do imóvel onde Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, foi preso em Atibaia (SP). Ele também foi advogado de Flávio e do próprio presidente Jair Bolsonaro.

Na terça-feira, Augusto Aras anunciou a abertura de uma investigação preliminar sobre o caso, mas se manifestou pelo arquivamento. Para Carlos Eduardo, havia indícios de corrupção, advocacia administrativa e tráfico de influência.

Na quinta-feira, diz o Globo, o servidor recebeu a notícia de que a chefia do Cade havia feito um pedido de devolução dele à Embratur, empresa vinculada ao Ministério do Turismo, onde ele é servidor de carreira. Ele havia sido cedido ao Cade temporariamente, ainda neste ano. As informações são do site O Antagonista.

Wassef a serviço da Sada e Tegma
Wassef foi o advogado que operou em nome dos dois grupos econômicos que controlam o bilionário setor de transporte de veículos novos, chamado de cartel dos cegonheiros. Em 2015, participou de reuniões com integrantes da Sada, Brazul e Tegma. A intenção era convencer o editor do site Livre Concorrência, jornalista Ivens Carús, a receber R$ 1,5 milhão em uma mala para prestar depoimento fraudulento, acusando empresas concorrentes. Todo o esquema foi comunicado com antecedência às autoridades constituídas. O ”acordo” restou frustrado.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Servidor é desligado do Cade após pedir investigação de lobby de Wassef para Viracopos"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    POIS É, AMIGOS QUE LÊEM ESSE FABULOSO PORTAL!
    COMO PODERIAM FIRMAR ACORDOS INESCRUPULOSOS COM UM CIDADÃO SÉRIO E HONESTO, COMO O REDATOR CHEFE DO MESMO.
    AS MATÉRIAS POR ELE POSTADAS, SÃO E SEMPRE FORAM EMBASADAS EM INVESTIGAÇÕES LÍCITAS E, O CARTEL DOS CEGONHEIROS EXISTE EM ATIVIDADE ATÉ OS DIAS DE HOJE!
    SEUS LÍDERES DESSA FACÇÃO CRIMINOSA, JÁ FORAM DEVIDAMENTE PROCESSADOS E ATÉ MESMO CONDENADOS.
    DESSA FORMA, ESSE ADVOGADO DEVERIA TER SIDO DEVIDAMENTE PROCESSADO TAMBÉM! CONCORDAM COMIGO!
    A CORRUPÇÃO NESSE NOSSO PAÍS TEM QUE SER DEVIDAMENTE EXTINTA, PARA O BEM DE NOSSA NAÇÃO!
    HOJE, O GOVERNO FEDERAL TEM LUTADO CONTRA ESSES DESMANDOS, E O PRESIDENTE DA REPÚBLICA TEM SIDO ATACADO DIARIAMENTE PELOS SEUS OPOSITORES, PERTENCENTES AOS PARTIDOS ESQUERDISTAS!
    CUMPRAM-SE AS LEIS!
    NÃO É CRIME, TENTAR CORROMPER UM CIDADÃO HONESTO?
    COMO PODE UM SERVIDOR DO CADE SER PENALIZADO POR TER AGIDO DENTRO DAS SUAS REAIS FUNÇÕES!
    UM VERDADEIRO ABSURDO!
    “BRASIL ACIMA DE TUDO. DEUS ACIMA DE TODOS!”
    PRA FRENTE BRASIL!

Os comentários estão encerrados