Sinaceg vai ao MPF defender a transportadora Bonança

O braço sindical da organização criminosa que controla o transporte de veículos novos no país, segundo investigação da Polícia Federal, foi queixar-se ao Ministério Público Federal de São Bernardo do Campo sobre o conteúdo das matérias publicadas pelo site Livre Concorrência. O presidente do Sindicato Nacional dos Cegonheiros (Sinaceg, ex-Sindicam), Jaime Ferreira dos Santos, pediu ao procurador da República Steven Shuniti Zwicker que investigue a empresa Bonança Logística para concluir que a transportadora de São Caetano do Sul (SP) não possui relação com a entidade comandada por ele.

Em outras palavras, o Sinaceg, já condenado pela Justiça Federal por participação ativa no chamado cartel dos cegonheiros, transferiu ao MPF a tarefa de desmentir o vínculo operacional da entidade com a empresa paulista e os boatos que circulam nas redes sociais sobre comércio ilegal de vagas para transportar veículos produzidos pelas montadoras Volkswagen e General Motors. A solicitação foi registrada em ata, datada de 17 de setembro de 2018.

No material encaminhado ao MPF, o Sinaceg também contestou as publicações referentes ao ex-deputado federal Jones Martins (MDB-RS). No documento, os advogados do sindicato afirmam que o site noticiou “o envolvimento da empresa com o agente político do MDB gaúcho, deputado federal Jones Martins, que seria um agregado, i.e., titular de vagas naquela empresa”.

No dia 17, o editor do site, jornalista Ivens Carús, disse ao procurador da República que a relação do político com a empresa nada tem de suposta, como sugerem os termos “seria um agregado”, empregados na petição.

O parlamentar confirmou o vínculo com a empresa em 10 de outubro de 2017. Ao site Livre Concorrência, o emedebista falou sobre a contratação da empresa dele como agregada da Bonança.

À época, Jones defendeu o contrato com a Bonança:

“Esse é um negócio como outro qualquer. Isso é um investimento que estou fazendo com o meu irmão de sócio.”

Os advogados também queixaram-se de notícias cujo teor revelaram ” suposta ingerência do cartel, que se valia de uma empresa em dificuldades financeiras para ampliar o controle do mercado”. O fato é que depois de confirmado o “vínculo operacional entre Bonança e Sinaceg, a empresa paulista começou a transportar veículos produzidos pela GM, conforme registro fotográfico abaixo.

A cooperação entre empresa e sindicato também foi registrada em matéria de meia página publicada pela Revista dos Cegonheiros e reproduzida na foto de abertura. O texto , redigido e editado por pessoas vinculadas ao Sinaceg, não deixa dúvidas sobre a relação com a Bonança:

“A Recente parceria com o Sindicato Nacional dos Cegonheiros visa a viabilizar novos negócios.”

A decisão de repassar cargas da GM à empresa paulista gerou discórdia entre os associados do Sintravers. A crise entre os filiados tornou-se mais aguda depois da divulgação em redes sociais de áudios que revelaram possível venda de vagas por R$ 50 mil a um seleto grupo de cegonheiros-empresários interessados em transportar veículos novos da montadora norte-americana. O site publicou os conteúdos dos áudios encaminhados por cegonheiros e entrevistou os envolvidos.

Nota da redação
Por último, a petição do Sinaceg atribuiu ao site o interesse do MPF às irregularidades ocorridas no transporte de veículos novos. Eles escreveram:

“Há tempos o MPF vem movendo ações, apresentando representações e peças, instaurando inquéritos e expedindo recomendações em relação ao setor e, em sua quase totalidade, motivado por denúncias de grupo de empresários e do veículo de imprensa aqui mencionado.˜

Grande equívoco. É o trabalho de procuradores da República, de agentes da Polícia Federal e o teor de sentenças judiciais que nos motiva e indica que estamos agindo dentro da lei e em defesa dos anseios da sociedade.

A curiosa petição é assinada pelo advogado Laércio Farina que já defendia o Sinaceg (ex-Sindicam) quando o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), presidido por sua mulher, Elizabeth Farina, arquivou escandalosamente o processo administrativo por formação de cartel no setor. O sindicato era um dos chamados “representados”.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "Sinaceg vai ao MPF defender a transportadora Bonança"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    Prezados leitores deste conceituado Portal! É notório que os comentários expostos por essa Redação, apenas diz as verdades dos fatos.
    Infelizmente para estes meliantes do SINASEG e do CARTEL, esta MÁFIA vai acabar, com as atuações do MPF; PF e o novo GOVERNO FEDERAL, assim espero!
    Este Sindicato que se intitula Nacional (que se caracteriza fora das regras constitucionais), deveria ser mais uma vez punida, da mesma forma que foi o SINDICAM, pois fazem de tudo para burlar as Leis.
    Os fatos acima declarados são provas reais das verdades, logo, APUREM-SE E DEFINAM-SE com as devidas Sentenças na forma da Lei!
    Parabéns, Portal da Livre Concorrência! Contra as verdades ditas, não existem defesas!

Os comentários estão encerrados