STF rejeita pedido de postos de combustíveis para rever decisão do Cade e aplica multa por litigância de má-fé

O Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou, por unanimidade, pedido de postos de combustíveis para rever decisão do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O órgão antitruste aplicou multa em várias empresas que se valeram do poder econômico para eliminar a concorrência, principalmente nos hipermercados da capital federal.

Publicidade: confira aqui o conteúdo do site Debate Jurídico

Capitaneadas pela Comal Combustíveis Automotivos, com base no artigo 1.021, § 4º do novo Código de Processo Civil (CPC), os estabelecimentos comerciais ainda amargaram outra multa, dessa vez por litigância de má-fé. O montante pode chegar a 5% do valor atualizado da causa. Os ministros entenderam, seguindo o voto do relator, ministro Luiz Fux, que não cabe ao STF rever o mérito da decisão do Cade. O Supremo, segundo ele, deve limitar a atuação da Corte à análise de legalidade e de abusividade. O objetivo é assegurar a autonomia nas decisões do órgão antitruste.

O relator argumentou:

“Diversamente do consignado pela recorrente, o acórdão hostilizado não aniquila as hipóteses de judicial review das sanções impostas pelos órgãos reguladores. Ao contrário, em convergência com o princípio da separação de poderes e com a jurisprudência desta Corte, assenta que o controle judicial do ato administrativo cinge-se à análise da legalidade ou abusividade.”

Ele prosseguiu:

“Na trilha da orientação desta Suprema Corte, o controle jurisdicional deve cingir-se ao exame da legalidade ou abusividade dos atos administrativos. No caso sub examine, a expertise técnica e a capacidade institucional do Cade em questões de regulação econômica demanda uma postura deferente do Poder Judiciário ao mérito das decisões proferidas pela Autarquia.”

Fux acrescentou:

“O Cade concluiu que a agravante valeu-se do seu poder econômico para eliminar a concorrência de hipermercados locais que pretendiam ingressar no ramo de revenda de combustíveis. Aduziu, ainda, que foram exercidas pressões nos membros dos poderes Executivo e Legislativo para que fosse editada uma lei distrital que vedasse a instalação de postos de combustíveis em estacionamentos de supermercados. Em decorrência das infrações previstas nos artigos 20, I, II e IV, e 21, II, IV, V e X, da Lei Antitruste, foram impostas à recorrente as penalidades de publicação de anúncio de meia página em jornal de grande circulação com o extrato da decisão punitiva, multa no valor de 5% do faturamento bruto do ano anterior ao da instauração do procedimento administrativo e inscrição no Cadastro Nacional de Defesa do Consumidor.”

E concluiu:

Com efeito, o controle judicial desse ato deve se restringir ao exame da legalidade.”

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

2 comentários sobre "STF rejeita pedido de postos de combustíveis para rever decisão do Cade e aplica multa por litigância de má-fé"

  1. Genyffer disse:

    Excelente matéria. Jornalismo informativo de qualidade.

  2. Luiz Carlos Bezerra disse:

    CONFORME JÁ CITEI EM COMENTÁRIOS ANTERIORES. A LIVRE CONCORRÊNCIA É LEI, E SENDO ASSIM, DEVE SER RESPEITADA, NUNCA BURLADA!
    CUMPRAM-SE, DOA A QUEM DOER!

Os comentários estão encerrados