Órgão do Cade sugere restrições para aprovar joint venture entre Viação Águia Branca e Grupo JCA

Parecer identificou riscos concorrenciais decorrentes da elevada participação de mercado de ambas as empresas, o que poderia resultar em eliminação da concorrência potencial. Das 85 empresas que atuam nas modalidades interestadual e intermunicipal, apenas três detêm 50% do mercado.

De Brasília

A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (SG/Cade) encaminhou para análise do Tribunal da autarquia a formação da joint venture BusCo, firmada entre a Viação Águia Branca (VAB) e a JCA Holding Transportes, Logística e Mobilidade. As empresas atuam nos setores de transporte e logística, principalmente no mercado de transporte coletivo regular de passageiros, em âmbito nacional. O despacho foi publicado no Diário Oficial da União na última segunda-feira (3).

A SG/Cade analisou tanto a sobreposição horizontal identificada nas linhas operadas pela VAB e JCA quanto a integração vertical entre esse segmento e das atividades da joint venture no mercado nacional de plataformas digitais para operacionalização estratégica de transporte rodoviário.

Com relação ao mercado de transporte rodoviário regular de passageiros, a análise identificou riscos concorrenciais decorrentes da elevada participação de mercado de ambas as empresas nesse setor, o que poderia resultar em eliminação da concorrência potencial. Outra preocupação apontada pela SG/Cade é que a possibilidade de parcerias da BusCo com outras viações poderia facilitar a coordenação de suas ações.

No que diz respeito ao segmento de plataformas digitais para operacionalização de transporte rodoviário, verificou-se a presença de requisitos que tendem a tornar efetiva a probabilidade de exercício unilateral ou coordenado de poder de mercado, como barreiras à entrada e baixa rivalidade nas modalidades interestadual e intermunicipal, assim como foi possível verificar a probabilidade de exercício de poder coordenado, porque das 85 empresas que atuam no mercado nacional, apenas três detêm 50% do mercado.

Medidas saneadoras
Caso a operação seja aprovada pelo Tribunal do Cade, a Superintendência-Geral sugere a adoção das seguintes restrições:

  • Abstenção de uma das empresas em operar nas linhas em que subsistem sobreposições horizontais, bem como a vedação de parcerias entre a joint venture BusCo e autoviações não integrantes do Grupo JCA ou do Grupo Águia Branca.

A exceção a essa vedação seria a comunicação prévia e aprovação pelo Cade, de modo a se evitar a coordenação comercial ampla de JCA e Águia Branca com outras viações não integrantes do quadro de qualquer desses grupos.

Com a remessa do ato de concentração para o Tribunal do Cade, o processo será distribuído a um conselheiro, que ficará responsável pela condução do caso e, posteriormente, o levará para julgamento pelo colegiado.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen