TRF-4 nega pedido da condenada ANTV para suspender processo e mantém julgamento no dia 4 de setembro

A desembargadora federal Vivian Josete Pantaleão Caminha (foto de abertura) rejeitou o pedido da Associação Nacional das Empresas Transportadoras de Veículos (ANTV) para suspender o processo que também tem como réus condenados por formação de cartel no setor de transporte de veículos novos a General Motors do Brasil, o ex-diretor para assuntos institucionais da GM (Luiz Moan Yabiku) e o Sindicato Nacional dos Cegonheiros (Sinaceg, ex-Sindicam). Pela decisão, o julgamento dos recursos está mantido para a manhã do dia 4 de setembro, 30 meses depois de as apelações terem chegado ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), tido como um dos mais rápidos do país.

O pedido da ANTV foi protocolado 12 dias depois de a desembargadora-relatora dos recursos na 4ª Turma ter colocado o processo na pauta de julgamentos do início do próximo mês. A ANTV queria a suspensão do processo até decisão de Recurso Especial interposto pelo Ministério Público Federal contra decisão do TRF-1 (um dos mais lentos do país), em contenda contra o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O recurso sequer foi admitido pelos desembargadores em Brasília (DF). A manobra jurídica não foi aceita pelo Ministério Público Federal – autor da Ação Civil Pública que resultou na condenações dos réus por crimes contra a economia popular – tampouco pela Advocacia Geral da União (AGU). ANTV também pediu para que o processo em tramitação no Rio Grande do Sul fosse enviado para o TRF-1.

Esta é a segunda tentativa dos desembargadores da 4ª Turma de julgar os recursos. Em 28 de março deste ano, a magistrada havia destinado o dia 24 de abril para deliberar. Uma semana depois, no entanto, retirou da pauta. De acordo com a assessoria de Comunicação Social do TRF-4, a desembargadora precisou de mais tempo para analisar o extenso e complexo processo.

Condenados afinam defesa
A estratégia dos integrantes da associação criminosa (segundo relatório da Polícia Federal) é única e vale para todos os réus, inclusive os já condenados. O exemplo contundente é a tentativa de enganar o Poder Judiciário também de São Paulo, mas não está surtindo o efeito desejado.

O argumento mais utilizado na expressiva maioria dos que tentam se livrar das garras da Justiça é o chamado “bis in idem”. A expressão oriunda do Latim significa, no jargão jurídico, “repetição sobre o mesmo”, ou seja: processamento e julgamento sobre causa já decidida. No entanto, os ministérios públicos (Federal e Estadual) apontam enorme diferença entre os feitos, mencionados pelos defensores, o que vem sendo aceito pela Justiça.

A ligação entre os condenados por formação de cartel na ACP é cristalina. Os advogados defensores se misturam. Nos autos em tramitação no TRF-4 (e também desde a tramitação da ACP na 1ª Instância por longos 14 anos), se comprova que os advogados Sergio Gilberto Porto e Éderson Garin Porto estão habilitados para exercerem as defesas da General Motors do Brasil, de Luiz Moan e também da ANTV. Enquanto isso, Humberto Jardim Machado está habilitado às defensas da ANTV e Sinaceg.

ANTV BID da Volkswagen Cade Cartel dos cegonheiros Fiat Ford Formação de cartel Gaeco GM Incêndios criminosos Jeep Justiça Federal Luiz Moan MPF Operação Ciconia Operação Pacto Polícia Federal Prejuízo causado pelo cartel Sada Sinaceg Sindicam Sintraveic-PE Sintravers STJ Tegma Tentativa de censura Transporte de veículos Transporte de veículos2 Transporte de veículos novos TRF-4 Vittorio Medioli Volkswagen

Um comentário sobre "TRF-4 nega pedido da condenada ANTV para suspender processo e mantém julgamento no dia 4 de setembro"

  1. LUIZ CARLOS BEZERRA disse:

    PREZADOS AMIGOS. POR DIVERSAS VEZES, ESTA TAL DE ANTV, ATRAVÉS DE SEUS ADVOGADOS, TENTA BARRAR AS DECISÕES DESTE BRILHANTE TRF-4.
    AS TENTATIVAS SE DÃO AOS FATOS DE PROLONGAR OS JULGAMENTOS, PARA QUE OS ATOS POSSIVELMENTE ILÍCITOS SEJAM PRESCRITOS. HAJA VISTA AS TÁTICAS DE “EMPURRAR COM A BARRIGA”, E ENTÃO LUDIBRIAR A JUSTIÇA!
    ESTA ENTIDADE (ANTV), JÁ FOI CONDENADA ANTERIORMENTE, E NEM DEVERIA MAIS SE PRONUNCIAR, A FAVOR DESTE CARTEL, DEFINITIVAMENTE EXISTENTE! BEM COMO O TAL SINACEG, QUE SE INTITULA COMO “SINDICATO NACIONAL” DE FORMA INCONSTITUCIONAL, PELO FATO DE QUE QUALQUER SINDICATO DE CLASSE, SÓ PODE ATUAR NOS ESTADOS DE SUA BASE, E NUNCA NACIONALMENTE. ELES FAZEM DE TUDO, HÁ MUITOS ANOS, PARA DOMINAR O MERCADO NACIONAL, E NÃO SOMENTE EM SP. DESSA FORMA, ATUAM COMO BASE DE LITÍGIO, A FAVOR DO CARTEL DOS TRANSPORTADORES DE VEÍCULOS NOVOS, PRODUZIDOS EM NOSSO PAÍS, BURLANDO INCLUSIVE AS NORMAS DA LIVRE CONCORRÊNCIA.AGORA SIM, ESPERAMOS QUE AS AÇÕES SEJAM DEVIDAMENTE ANALISADAS E JULGADAS, PENALIZANDO OS RÉUS, OS FAZENDO CUMPRIR SUAS PENAS, SEJAM ELAS QUAIS FOREM.COMO JÁ CITEI EM OUTROS COMENTÁRIOS ANTERIORES, “O BRASIL AGORA ESTÁ SOB NOVA DIREÇÃO!” CHEGA DE TANTOS VANDALISMOS.
    ABAIXO O CARTEL!
    PARABÉNS SR. IVENS CARÚS, POR SUAS EXPLANAÇÕES CLARAS E LÍCITAS, AO LONGO DESTES PERÍODOS DE TANTAS BATALHAS!
    SÓ NOS RESTA AGORA AGUARDAR AS DECISÕES QUE CERTAMENTE VIRÃO NO DIA 04/09, APÓS O JULGAMENTO FINAL SOBRE ESTA MATÉRIA!

Os comentários estão encerrados